Networking – A importância de ter uma boa rede de contactos

NetworkingA Maquijig explica como começar e dá-lhe 20 dicas para criar um Networking de sucesso.
Um dos maiores erros que se pode cometer quando se pensa em criar uma boa rede de Networking é considerar que os contactos provenientes de redes sociais são os melhores ou então pensar que o facto de distribuir cartões corporativos são garantias para um bom Networking.

Manter uma boa rede de relacionamentos pode fazer a diferença na conquista de novos negócios, assim como na contratação de novos talentos para a sua empresa. Apesar do termo Networking estar a ser vastamente difundido pelo Mundo inteiro, existem ainda empresários que não sabem exatamente como por em prática o seu network, ou como exatamente esta temática funciona e que vantagens reais poderá trazer para o negócio. Não é suficiente apenas marcar encontros e trocar cartões para formar uma boa rede de contactos. Isso é apenas o princípio, a primeira abordagem. É preciso, depois, estabelecer relações com a rede através da partilha de interesses comuns, de experiências e de casos de sucesso.

Na prática, a maioria das pessoas só se dá conta da importância da sua rede de relacionamento – ou do quanto a negligenciaram – quando mais precisam, e esta perceção acontece quando menos devia, em alturas fulcrais como por exemplo ao fechar um negócio. A Maquijig rejeita a ideia de pensar em network apenas quando se necessita de ajuda, porque há uma grande diferença entre uma relação interesseira e uma relação resultante de interesses. E os seus contactos sabem muito bem diferenciar ambas quando você os contacta.

E o Networking não serve apenas para gerar negócios, serve para potenciar a sua vida social, o que para muitas pessoas é um ótimo exercício, pois se por um lado há quem tenha grandes facilidades de se relacionar, por outro lado há quem seja extremamente tímido e reservado. Aventure-se!

Por onde começar?

O primeiro passo para um bom Networking é fazer uma lista das pessoas que conhece e avaliar qual é o seu nível de proximidade com elas, quer do ponto de vista profissional como do pessoal. E tenha sempre em mente de que não está a gastar tempo ao decidir cultivar estas relações, mas sim a investir no futuro, como uma poupança, tal e qual.

Mesmo para quem tenha uma rede de contactos sociais coesa, o ideal não é atirar em todos os sentidos, mas sim escolher as melhores pessoas para o ajudar em determinada matéria que precise.

Outro fator importante é frequentar novos lugares onde possa conhecer pessoas diferentes e interessantes para a sua rede de contactos. Ir sempre aos mesmos eventos e ter a pretensão de que vai conhecer muitas pessoas novas é tão verdade quanto fazer sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes…já dizia o génio matemático Albert Einstein.

Tenha em mente que congressos, palestras e reuniões com clientes não são os únicos lugares para trabalhar o seu network. Bons relacionamentos profissionais podem ser construídos num bom almoço, e Portugal tem um clima muito propício para tal. Aproveite.

Presencial e web

A tecnologia é também uma grande aliada na hora de gerir contactos. Devido à correria do dia a dia e ao acumular de tarefas, redes como LinkedIn, Facebook e até mesmo o MSN, são excelentes ferramentas para estabelecer uma troca de informações e interesses. Porém, adicionar contactos sem critério algum e expressar-se inadequadamente nestas redes sociais não irá aumentar o seu poder de relacionamento, antes pelo contrário.

Outro fator importante é entender que, no network, quantidade não significa qualidade e não importa se os contactos foram estabelecidos presencialmente ou via web. Esta constatação foi feita em 2010 por cientistas da Universidade de Oxford, comandada pelo antropólogo inglês Robin Dunbar, ao realizarem uma detalhada análise sobre o tráfego de sites de relacionamento social. O estudo apontou que uma pessoa interage, no período de um ano, com 150 pessoas no máximo, independente da origem dessas relações, isto é, pessoais ou via on-line. Os resultados desta pesquisa reforçaram a teoria de Robin Dunbar, que ficou conhecido nos anos 90, que defende que o cérebro humano é capaz de estabelecer círculos de amizade com um máximo de 150 pessoas. Assim, atenção na hora de apertar o botão “adicionar” nas suas redes sociais. Lembre-se que é melhor ter 100 amigos conhecidos no Linkedln, com quem verdadeiramente se relacione, do que ter 800 pessoas com as quais nunca entra em contacto.

Com a ajuda de especialistas, preparamos um guia com 20 dicas para que você prepare um Networking vitorioso:

1) Saiba expressar-se e seja claro para garantir que a pessoa recebe a informação correta;

2) Planeie antes de realizar o contacto e faça-o de maneira personalizada;

3) Auto cultive-se e atualize-se. Isso inclui ler, pesquisar na Internet, mas também socializar: ir ao teatro, ao cinema, sair com amigos e convidar um antigo colega para tomar um café. Socializar também implica fazer desporto, além de muito importante para se sentir bem, não é à toa que o antigo provérbio afirma “mente sã, corpo são e vice versa”;

4) Estabeleça um link de relacionamento (um assunto em comum) com o outro contacto;

5) Seja você mesmo e pratique seu network diariamente, de maneira natural;

6) Partilhe ideias e convide o interlocutor para opinar sobre elas;

7) Defina bem o seu mindset e cumpra cada tarefa. Lembre-se: Os meios justificam os fins;

8) Aproveite os momentos em que as coisas caminham no bom sentido para desenvolver relacionamentos e cultivá-los;

9) Reserve um horário para rever aquelas pessoas que não encontra há algum tempo;

10) Não é de bom tom contactar apenas quando precisa de um favor;

11) Não fale mal dos outros;

12) No caso de necessitar de um favor, perceba se a pessoa entendeu as suas intenções;

13) Avalie se o novo contacto vai acrescentar algo de valor. Lembre-se de que a relação é de troca;

14) Tenha sempre consigo os seus cartões pessoais;

15) Trate a sua rede de Networking como uma irmandade, em que existe fidelidade e ajuda mútua;

16) Respeite as regras básicas da ética corporativa: não use o seu network para roubar outros contactos, clientes e ideias ou espalhar boatos sobre a concorrência;

17) Respeite a diversidade humana e compreenda que cada pessoa tem a sua maneira de pensar, agir e falar;

18) Entenda um pouco de tudo e não se restrinja apenas à sua área profissional;

19) Tenha em mente quais são as suas habilidades e competências;

20) Mantenha-se sempre aberto a novos contactos e ideias.

 
 

Partilhar artigo